Impasse no setor de energia

Eletricista2_200_200

Prestadora de serviços para a concessionária de energia EDP Escelsa, a Engelmig está deixando de atuar em algumas atividades no Espírito Santo, no próximo mês. Quem assume o posto é um grupo gaúcho do setor de sistemas elétricos (Sirtec).

Dezenas de funcionários da Engelmig temem perder o emprego, já que dizem que a empresa quer deslocá-los para outros estados, forçando-os a pedir demissão. Os trabalhadores pretendem entrar na Justiça, mas especialista diz que posicionamento da Engelmig é legal.

Com seis escritórios espalhados pelo Espírito Santo, a Engelmig perdeu a licitação para renovação do contrato com a concessionária de energia EDP Escelsa. Com a entrada de uma nova empresa, uma parte dos funcionários deve ser relocada para outras regiões, fato que a maioria desaprova.

O eletricista Adriano da Silva Oliveira, de Marataízes, é um deles. Ele conta que houve reunião entre os funcionários e a diretoria no início da semana, mas não houve possibilidade de acordo. “Em outras palavras, disseram que não vão demitir ninguém. A empresa pode nos mandar para outros Estados; são cinco pelo menos. Vamos entrar na Justiça para fazer valer nossos direitos”, afirmou.

A advogada Priscilla Thomaz de Oliveira explica que a decisão da empresa é cabível legalmente, já que ela não encerra suas atividades, e sim passa a não operar em determinada região. Mas, faz ressalvas. “O contrato de trabalho deve estar em comum acordo entre as partes e respeitar as diretrizes da Consolidação das Leis de Trabalho”, orientou.

Empresa pondera

A empresa mineira Engelmig não deve suspender suas atividades, por enquanto, no Espírito Santo. Segundo o gerente na região, Antônio Carlos Pereira Freitas, “não há motivos para alarde, já que a empresa continua com contratos firmados com a Escelsa nos próximos 36 meses”.

“Boa parte dos funcionários deve continuar operado nos contratos de serviço de plantão e manutenção. Aliás, devem ser contratados mais trabalhadores a partir de agosto. O contrato no qual os funcionários se referem é de apenas uma atividade, que se encerra em 31 de julho”, garantiu.

Segundo o gerente, 621 profissionais atuam na Região Sul. O número de possíveis demissões não foi divulgado, sob a justificativa de alguns contratos ainda estarem em negociação.

Nova concessão

Quem começa a operar no Estado é a empresa Sirtec Sistemas Elétricos. Segundo a assessoria da prestadora de serviços, a nova frente de trabalho vai abranger as regiões Metropolitana (Vitória, Serra, Vila Velha, Cariacica e Viana) e Sul (Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim e cidades vizinhas).

Inicialmente, duas bases, com escritório e equipe técnica, serão montadas em Vitória e Serra. Elas deverão dar suporte aos municípios até que os demais postos, de acordo com a Sirtec, comecem a ser instalados, gradativamente. Quatrocentos e cinquenta colaboradores devem fazer parte do quadro pessoal no ápice das atividades.



Outras Notícias


Governo quer salário mínimo de R$ 1.040 para 2020

Senai Cachoeiro lança primeira turma do Curso de Qualificação Confeiteiro

Benefícios do chocolate: como aproveitar a Páscoa sem pagar o alto preço das contraindicações

Brasil é vice campeão mundial em cirurgias cesáreas

Mulher é morta em distrito de Alegre com pedra de 20 quilos na cabeça

Obras em trecho da rodovia do Valão são retomadas

Operação Quimera efetua prisões e afasta secretários em Vargem Alta

Justiça do ES não cumpre leis de prisão domiciliar para presas com filhos

São Crescente, foi martirizado por não negar a Jesus Cristo

Espetáculo da Paixão de Cristo terá duas apresentações em Jaciguá

Defensoria denuncia racionamento de água em presídio de Cachoeiro

Ministério registra aumento do consumo e produção de orgânicos no Brasil

Santo Isidoro, buscava a salvação das almas

Hospital do ES é condenado por dar falso diagnóstico de HIV

CNC projeta alta de 1,5% para as vendas da Páscoa contra 2% de 2018

D1 Notícias ©2010-2011. Todos direitos reservados.